Professores e estudantes dão palpites sobre possíveis temas do Enem 2017; confira


Por Tais Patez / 27 de setembro de 2017

Estudantes fiquem atentos! Faltam menos de dois meses para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que este ano será realizada em dois domingos consecutivos: dias 5 e 12 de novembro. Mas o que todos querem saber é o tema da redação, o A Semana conversou com alguns professores e estudantes e eles deram algumas sugestões. Ao contrário do ano passado, este ano o primeiro domingo de provas terá linguagens, ciências humanas e a tão temida redação, com duração de cinco horas e meia de prova. No segundo domingo será o dia de matemática e ciências natureza com duração de quatro horas e meia. A estudante Talita Farias, 18 anos, que está se preparando diz que gostou das mudanças, “é uma prova cansativa, e como vamos fazer em dois domingos dá pra descansar durante a semana. Muitos reclamam porque a parte de leitura ficou toda pro mesmo dia, mas eu gostei, porque acho mais complicado ter prova de redação com prova de matemática”, disse a estudante.

A decisão de alterar as datas do Enem foi tomada após a realização de consulta pública feita pelo Ministério da Educação (MEC). Segundo dados do Ministério, dos mais de 600 mil participantes 42% optaram para que a prova ocorresse em dois domingos.
Mas, não é só o cansaço que esquenta a cabeça dos candidatos, uma das maiores dificuldades dos jovens é a prova de matemática, como explica o professor de cursinho Tobias de Cabral Braga, “o Enem é uma prova que não mede tanto o conhecimento, e sim a resistência do aluno, tem muitas questões fáceis da matemática e a gente vê a dificuldade do aluno em matemática básica, conhecimentos lógicos e principalmente na compreensão do enunciado”.
Pensando nisso, Talita, que sonha em fazer Medicina, faz um curso de exatas, além do cursinho e da rotina de estudos. “Eu faço cursinho pela manhã, estudo a tarde de 14h até as 18h e a noite faço um curso de exatas e naturais”, contou. Para Talita o tema da redação não será sobre assuntos que possam ‘ferir’ o governo, por conta do atual momento de instabilidade do Brasil. Ela aposta em temas como: sustentabilidade, mobilidade urbana e democratização da cultura.
Ao contrário de Talita, o estudante de 19 anos, Higor Pacheco, que está mirando o curso de Odontologia, faz cursinho a tarde e prefere estudar a noite, horário que ele considera seu rendimento maior. O estudante que faz redação duas vezes por semana, também aposta que o tema não terá relações diretas com o governo, seu palpite é desigualdade social.
Levando em conta o modelo de prova que costuma ser cobrado todos os anos, um tema de importância social para a realidade atual brasileira, a professora de Redação Leila Oliveira deu alguns palpites, como: liberdade de expressão, questões raciais, violência urbana, direitos do trabalhador, avanços tecnológicos e sistema prisional brasileiro. A professora aconselha que os candidatos fiquem atentos aos fatos da atualidade, e estejam sempre antenados nos noticiários.
A página do portal Nacional da Educação (PNE) divulgou 15 possíveis temas para a redação deste ano, nas redes sociais, no último dia 18. Na descrição, a página deixa claro que não faz parte das redes sociais do governo, e que não está ligada com os canais de comunicação do MEC e Inep. Entre as sugestões estão: consumismo e ostentação, bulling nas escolas, ideologia de gênero no Brasil e transtornos como ansiedade, depressão e suicídio.

MUDANÇAS
Este ano o Enem não valerá como certificado de ensino médio, outra mudança é que além dos estudantes de terceiro ano de escolas públicas, pessoas que tem cadastro no CadÚnico também ficaram isentas de pagar a taxa de inscrição, mas o MEC alerta que em caso de não comparecimento os isentos perderão o direito ao benefício em 2018.
Para garantir maior segurança os cadernos de prova deste ano serão personalizados com nome e número de inscrição na capa e no cartão de repostas. O MEC também decidiu que não haverá mais o ranking do Enem por escolas. A decisão de alterar as datas do Enem foi tomada a após a realização de consulta pública sobre o exame, dos mais de 600 mil participantes 63% votaram que o Enem deveria acontecer em dois dias e 42% optou que a prova ocorresse em dois domingos.
A edição do Enem 2017 terá o menor número de participantes desde 2013, segundo o MEC cerca de 6 milhões de candidatos se inscreveram, em 2016 aproximadamente 8 milhões de pessoas confirmaram as inscrições. Os resultados da prova serão divulgados em 19 de janeiro de 2018.